Documentarios.org

Busca no site

Documentários Séries

Estamos com 3021 documentários em nosso acervo


Imprimir esta página

Documentários


Disfarces Fatais

(Unlikely Carnivores)

47 min. / Dublado em Português / Osf Productions

Assassinos dos quais ninguém suspeitaria.

Do espaço, a Terra parece um paraiso de paz, um lugar onde existe água e vida. Mas chegue mas perto, e você entrará em um mundo onde criaturas mortais expreitam nos becos e onde plantas com aparência inocente preparam armadilhas letais.

Na realidade, nosso belo lar, abriga assassinos que tem sede por carne.

Conheça os assassinos disfarçados do planeta Terra, todos eles, feitos para matar.

Como obter este vídeo

Dividi em tópico pai para facilitar o estudo e compreensão do documentário:

*** 1) Na água existem animais assassinos. No Atlântico Norte existe um dos maiores habitats intactos do planeta, o Mar de Sargaços.

Neste local vive um animal que é uma reunião de animais que trabalham em conjuntos, como células em um único corpo: a caravela. Seus tentáculos chegam a 30 metros e estão repletos de nematocistos. Ela é mortal para a grande maioria dos peixes, mas existe um que vive entre seus tentáculos venenosos, sem causar dano alguma a caravela

Mas nem todas a relação é amigável. Existe uma lesma marinha que se alimenta da caravela, e o mais incrível, seu organismo de alguma forma consegue distinguir células urticantes e não as destruir, mas sim preservá-las em seu corpo, para usá-las quando se sentir ameaçada. Esta mesma lesma come uma outra espécie urticante de água viva.

Estás células não são um problema para um caramujo feito para matar, o Gastropoda gentinide. Ele é um predador supremo, que come a lesma marinha descrita acima.

Assim uma cadeia alimentar está formada no Mar de Sargaço: Peixes -> Caravelas e água-vivas -> Lesma Marinha -> Caramujo

*** 2) Um grande problema para a caravela e outros animais marinhos é o clima. Eles estão a merce da correnteza marinha e muitas vezes ficam encalhados em praias da ilhas Bermudas, no Caribe.

Mas a cadeia não para e logo um pássaro chamado Maçarico Solitário vem se alimentar de animais que a correnteza trouxe para a praia. Em seguido vem os carangueijos da areia se alimentar das caravelas encalhadas. Outro carangueijo está procurando alimentos nas rochas onde as ondas arrebentam.

Longe da praia o carangueijo do mangué procura brotos na areia. Veja a luta deles pela reprodução e por território, que deve ser perto da praia, onde a fêmea colocará os ovos no mar. Os ovos serão fertilizados em seu próprio corpo e então são soltos no mar. São tantos que quando eclodem regiões do mar ficam brancas de cascas de ovos. Agora vamos então no plâncton.

*** 3) O plâncton é uma comunidade de minúsculos organismos vivos, alimento básico dos oceânos. Este mundo está repleto de criaturas microscópicas feitas para matar. Vamos conhecer a Copilia quadrata, Esporas de corais, Tenóforos, Cnidários e Copépodos.

*** 4) Vamos voltar ao Mar de Sargaço e conhecer a origem de seu nome, a alga marinha chamada Sargaço, que é extremamente importante para a rede de vida do local.. Peixes e pequenas lulas encontram abrigos nela. Cracas aderem aos animais que estão no sargaço e muitas criaturas se camuflam com ele, como o mestre do desfarce, o peixe-sapo. Nenhum animal come o sargaço. Outros peixes usam o sargaço como berçario. O peixe voador põe seus ovos nele. Anêmonas-do-mar também habitam estes corais. Mas uma lesma-do-mar come a anemona. E existem muitos outros assassinos e você conhecerá vários deles, bem como a forma que eles matam suas vítimas.

Juntas as criaturas do Mar de Sargaço formam uma comunidade muito complexa.

*** 5) Conheça flores que gostam de carne e sangue. Serão mostradas alguns meios utilizados por elas para conseguem o alimento.

Primeiramente conheça uma planta Arumlili que vive em algumas ilhas do medierrâneo, como por exemplo a Sardenha. Elas se alimentam de moscas. A planta engana as moscas fazendo com que suas flores, que chegam ao tamanho de um prato, tenham a mesma aparência e odor de um cadaver em decomposição. A fêmea pousa nela para botar os ovos e procuram uma entrada escura e úmida. A planta usa as moscar para polinizala, deixando-as 24 horas presas em seu interior. Elas saem repletas de pólem e vão em direção a outra flor.

A Anenufura azul parece uma flor comum. Mas ela mata os animais polinizadores. Quando eles morrem, o pólen desce do corpo morto da mosca para antenas masculinas na câmara de fertilização logo abaixo.

Uma das plantas carnívoras mais incomuns talvez seja a Bolsa de Castor. As sementes são carnívoras! Estes devem ser os canívoros mais improváveis da natureza.

*** 6) Os animais comem as plantas, mas as plantas tem truques para tentar evitar isto, como: a) possuir toxinas nas folhas, b) tiram suas folhas do caminho, escondendo-as, c)( estabelecer relacionamentos com animais, como a Acácia e a Formiga d) desenvolver folhas grudentas, como exemplo a gordonias da África do Sul. Esta planta não come o inseto, só se protege deles.

*** 7) Plantas Carnívoras

A planta Pinguicola usa folhas grudentas para capturar pequenos insetos e secretam enzimas que decompõem seus corpos. A grozeracia é a rainha das armadilhas grudentas. Existem mais de 100 espécies no mundo. Veja algumas delas capturando alimento e como elas fazem isto.

Algumas plantas aquáticas flutuantes capturar animais microscópicos por pescaria e por mecanismos ativados por pressão ar/água.

Veja plantas que usam a água como armadilhas para capturar insetos, como a bromélia, por exemplo. A Nepentácea é outro exemplo. Ela forma um jarro e captura milhares de insetos durante sua vida. Inacreditávelmente alguns insetos evoluiram para viver dentro da Nepentácea.

E por fim, a planta carnívora mais famosa de todas, a Dionai muscipola, a primeira planta a ser considerada feita para matar. Veja como ela funciona e seu desenvolvimento.

Documentários Relacionados:

Disfarces Fatais

Detalhes do Documentário

Duração: 47 min.
Idioma: Dublado em Português
Qualidade: Ótimo
Produzido: Osf Productions
Apresentador:
Visualizações: 10522
Código: 509

Horários na TV

Este documentário não é exibido atualmente na TV.

Como obeter este vídeo